Feeds:
Posts
Comentários

Archive for novembro \29\UTC 2010

*Criatividade*

 

Criar é a capacidade inata de desestruturar algo e reestruturá-lo em forma totalmente diferente e original…Deus não está afastado no espaço incomensurável e desconhecido do homem, mas imanente na própria Natureza. Ele é, de modo geral, a luz eterna e transcendente no processo evolutivo e criativo de tudo o que existe no universo.(Hammed).

Read Full Post »

 

Benjamin Teixeira
pelo espírito Eugênia.

Procure reconciliar-se consigo próprio. Não se pode perdoar a ninguém, sem antes terem-se feito as pazes consigo mesmo. Ódios cruentos frequentemente ocultam sérios processos autodestrutivos, projetados e, assim, camuflados num espelhamento no outro. Autocorreção saudável, eficaz, em medidas exequíveis, em estratégia sustentável, sim, é caminho excelente e mesmo necessário ao processo de crescimento da alma. Prometer-se o impossível para a própria estrutura evolutiva, frustrar-se e render-se ao processo de autoflagelação psicológica, de fato, é de uma estultícia ímpar.

Não é fácil reconstruir a vida, após se sentir terrivelmente desaprovado por si próprio. Quando se comete um sério deslize, a sensação é de extrema infelicidade. Sendo assim, faça com que cada dia se assemelhe a uma volta na grande tapeçaria da existência. Você pode sofrer atrasos, ao desfazer nós já feitos, malfeitos, ou, se preferir, mudar o padrão do desenho, para incluir a alteração no conjunto. Mas pense desta forma: sempre há um jeito a se dar em qualquer problema. O fatalismo de quem se sente irremissivelmente perdido e condenado a castigos inapeláveis é uma imagem grosseira e anacrônica de como, de fato, as leis de justiça da Vida se desdobram.

As pessoas pensam, amiúde, de modo dramático, fechado, inflexível. É sempre possível ressarcir-se por erros que se tenham cometido, seja literalmente corrigindo o que foi feito equivocado, seja compensando-se pelo mau ato. Há quem fique deprimido ao pensar que, após ter feito algo de errado, não se tem como voltar atrás e apagar o ocorrido. Isso é verdade, mas a questão é que a pessoa está interpretando a situação de maneira errada: deve mudar seus paradigmas. Além de só levar a remorsos destrutivos e completamente contraproducentes, esta ótica não corresponde a uma perspectiva acertada da vida. Abandone o modelo do corpo que se quebra e não se tem mais como remendar, a não ser de forma tosca, quase patética; use o modelo da conta bancária no negativo: você pode ter um saldo positivo, por nunca haver feito dívidas, mas também pode ter o mesmo saldo positivo, porque compensou antigos débitos, com o investimento de bons créditos. Ao banco, não interessa o quanto tenha se endividado, desde que, depois, haja se ressarcido dos débitos. O Cosmo, com suas leis indefectíveis, age da mesma maneira. Se você acha que incorreu em alguma falha, não se entristeça. Faça o que pode agora, para retornar ao caminho certo, e, quanto antes, elimine, de todo, o sentimento de culpa – esta, sim, uma falta grave, já que põe a perder patrimônios preciosos de oportunidades de crescimento, realização e transformação.

Não perca mais tempo, prezado amigo, lamentando-se pelo que ocorreu no passado, seja recente ou remoto. O que importa é o que possa fazer agora por seu presente, em função de seu futuro, da sua felicidade e da de outras pessoas. Importa o quanto de bem pode fazer e não o quanto de mal pode se conscientizar de ter feito. Vire o jogo, vire a mesa, seja prático e busque a felicidade. Reconhecendo erros, assumindo responsabilidades, mas de modo racional, funcional e, sobremaneira, esperançoso, olhos postos no futuro, porquanto sempre é possível vencer, e, em última análise, todos vencerão, mais cedo ou mais tarde: mais cedo para os que envidarem esforços de forma mais adequada; mais tarde para quem escolher caminhos sinuosos… mas sempre, sempre, ao fim, a vitória, a glória, a plenitude!…

Sendo assim, por que não facilitar as coisas e antecipar o melhor?


(Texto recebido em 02 de maio de 2000. Revisão de Delano Mothé.)

 

Read Full Post »

Benjamin de Aguiar
pelo Espírito Gustavo Henrique.

Contra Idosos.

Observaram-te de través, por portares idade avançada, notando-te o andar cambaleante e a voz pausada – não sabem que, se não desencarnarem antes do tempo próprio, estarão em condições equivalentes ou piores do que as que agora apresentas, tranquilamente, porquanto, desde a juventude, soubeste respeitar os mais velhos e a condição de limitação que a senectude traz ao corpo físico. Não têm consciência, outrossim, de que, em se aproximando de ti, teriam grandes oportunidades de aprendizado. Riem-se, portanto, em sua ignorância, de si próprios.


Contra Negros, Pobres e Feios.

Ignoraram tua presença, por portares a pele mais escura, vestes mais simples ou pouca beleza em tuas formas físicas, com total despudor para os princípios de civilidade, sem saberem que a indumentária ou classe social, tanto quanto a beleza que hoje se ostente, amanhã poderá ser impossível vincular à própria personalidade, como também a esteira das reencarnações necessariamente trará a tal indivíduo, se não a miséria e a fealdade crassa, a presença de mais melanina na epiderme, no próximo veículo carnal que utilize.


Contra Mulheres.

O chefe chauvinista e machista fez pouco caso de tuas colocações e contribuições, por apenas seres mulher? Pior para ele – está desatualizado, e logo perderá os melhores auxiliares, no mercado de trabalho: as profissionais femininas, que são capazes de “vestir a camisa” das empresas e organizações, com uma ardência apaixonada dificilmente encontrável em seus pares masculinos.


Contra Forasteiros.

Chegas em certo rincão da República ou do exterior e te discriminam a fonética? Ri por dentro do patético a que a pessoa se confia, pois que tal criatura revela se fiar nas aparências do que é dito e não no conteúdo da fala, demonstrando pouca inteligência; como, principalmente, lembra-te de que semelhantes reações a sotaque diverso costumam ocorrer em regiões onde houve ou ainda há muita imigração, de tal modo que as origens de quem desdenha, com imensa probabilidade, são tão estrangeiras como tu mesmo.


Contra Homossexuais Assumidos.

Zombaram-te à tua passagem, por estares de mãos dadas com alguém do mesmo sexo, revelando portarem terríveis frustrações na área sexual, se não a própria tendência homossexual reprimida, na vida afetiva infeliz que não conseguem realizar a contento; denunciando, no mínimo, ser invejosos de tua coragem invulgar em apresentares, publicamente, quem és, numa época de tanta hipocrisia, no campo da homossexualidade e da bissexualidade que, somadas, constituem mais da metade da população… escondida, na capa da cômoda falsidade ideológica da pseudo-heterossexualidade. Gostariam de ostentar tua valentia para se divorciarem, mudarem de profissão, religião ou de círculo de amigos… Por isso não admitem tua transparência e autenticidade, que mereceriam aplauso e não apupos, disfarçando de falsos moralismos ou convenções religiosas ultrapassadas o que o Próprio Jesus condenou, até mesmo no que concerne a prostitutas confessas: o apedrejar terceiros por seus “pecados”… E quando não são pecados e sim acertos extraordinários, como é o caso de assumir a própria homossexualidade, defendida pela Ciência e pela Cultura em todos os seus estratos mais nobres? Que dizer dessas pobres criaturas que se voltam contra o veloz jato das transformações sociais de nossos dias, em total descompasso com a modernidade? Quão incapazes e incompetentes não serão, por conseguinte, em diversas outras áreas de suas existências? Revelador sobre o quão pequenas e deficientes são, quando te menosprezam pelo que te deveriam homenagear, se, pior, não portarem mau caráter, pelo gosto à hipocrisia da antiga cultura que camuflava gays, por interesses mesquinhos de se parecer o que não se é – o que seria ainda mais deplorável da parte delas…


Quem São os Preconceituosos.

Seja qual for tua situação de desconforto, na vivência da discriminação, como agente passivo, conscientiza-te de que os preconceituosos são pessoas semienlouquecidas, que não notam como elas próprias são vítimas de escárnio e ataque, igualmente, da parte de outros grupos discriminatórios e cruéis, além de estarem projetando seus complexos de inferioridade e rejeição, para o plano externo, sem resolver o problema na raiz: sua própria psique, sem autoconhecimento e autoestima, carregando a alma em brasa, infelizes… rindo por fora, chorando e rangendo os dentes de inveja por dentro…


Atitude para com os Preconceituosos.

Assim, embora possas, aqui ou ali, exigir, com elegância e firmeza, o respeito que te é devido, como cidadão (com isso, inclusive, educando os malfeitores e impondo-lhes limites ao abuso moral que perpetram), releva os remoques sem sentido que te lancem, e segue em paz, na coragem de seres quem realmente és, sem esconder tua origem ou natureza, tua felicidade e tua realização completa como ser humano, em processo de contínua construção de ti mesmo…

(Texto recebido em 30 de julho de 2010.)

Read Full Post »

Benjamin Teixeira
pelo espírito Eugênia.

Estou com medo, reza o fanático. Não me castigue pelos meus pecados, ó Deus de Justiça.

Dê-me mais comodidades e riquezas, ora o materialista renitente. Não sei viver na penúria, ó Deus da Abundância.

Permita-me mais dilatado tempo sobre a Terra, depreca o materialista disfarçado de religioso. Tenho muita coisa a fazer ainda no corpo, ó Deus da Vida.

Ajude-me a dar mais de mim aos outros e à Sua Causa, suplica, humildemente, o crente sincero. Faça-me mais útil ao meu próximo e ao Senhor, ó Deus da Providência.

Que eu não tema o desconhecido e continue desassombrado, expondo-me a Seu serviço, implora o discípulo do Bem. Não me permita vacilar, ó Deus Protetor.

Faça-me digno do Seu amor, amando mais o meu semelhante, solicita o coração nobre. Ajude-me a ser canal de Sua Bondade, ó Deus do Amor.

Conceda-me discernimento, para divisar o bem e o mal em cada experiência vivida, impreca o sábio buscador da verdade. A verdade, a Sua Verdade, é tudo que almeja, ó Deus da Sabedoria.

Seja qual for sua prece, estará vendo em Deus o que sua alma carece, e pela qualidade de suas preces, notará a extensão e a natureza de suas necessidades evolutivas. Assim, quando a Divina Providência não lhe atender, de imediato ou da forma que deseja, aos seus pedidos, tenha certeza de que algo melhor Ela reserva para você.

Não desanime jamais da prece. Nossas preces são sempre ouvidas e sempre atendidas, embora nem sempre percebamos claramente isso. Mas por ser algo tão sagrado e estar você se dirigindo ao Supremo Senhor do Universo, seria bom que procurasse expressar o melhor de si e ser o mais sábio e elevado em suas reivindicações, já que só lhe será atendido o que, de algum modo, contribuir para seu progresso e bem estar, em função de sua destinação para a Vida eterna.

(Texto recebido em 24 de outubro de 2001.)

 

Read Full Post »

*Esperto Loucos*

 

Benjamin Teixeira
pelo espírito Gustavo Henrique.

Rogério se negou a participar de obra caritativa com crianças, e perdeu a promoção que aguardava ter no trabalho, ao final do ano. Tinha seus motivos para fazer economias, é claro, mas o Cosmo também teve o seu, de não premiá-lo.

Constanza nasceu para o serviço do próximo, ouvindo queixas e trazendo consolação para todos, mas negou-se à prática da Psicologia, já que a clínica médica é muito mais rentável que a psicoterápica. Vive frustrada, atraiu para si um marido igualmente mercenário e, de quebra, três espíritos nasceram-lhe como filhos no mesmo padrão cármico.

Otávio recebeu pedido de ajuda para manutenção de programa de rádio de divulgação dos ideais evangélicos, e regateou a doação módica que lhe fora pedida. Bateu o carro, poucos dias depois, em prejuízo superior ao valor que poderia ter cedido, em auxílio fraterno a milhares de ouvintes que seriam orientados conforme os dizeres de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Mércia sentia que deveria se dedicar aos velhinhos da família, mas achou enfadonha a idéia e, principalmente, sacrificial, já que perderia parte de seu fim de semana com conversas e compromissos cansativos. Desenvolveu artrite reumática, com pouco mais de trinta anos, sem haver causa aparente, trazendo as dores da velhice para si mesma, bem antes do tempo.

Douglas namorava moça digníssima, por quem nutria especial estima, mas afastou-se dela, para desposar filha de rico fazendeiro, supondo, com isso, garantir-se um futuro mais seguro e feliz. Atraiu para si, sem saber, uma megera que, para completar, intuindo-lhe as intenções escusas, humilhava-o, dia e noite, na sua condição de comerciante do amor, enquanto ele mesmo teve que assistir ao espetáculo do casamento do seu grande amor com colega de infância, a quem fez muito feliz, com sua doçura, aquela mesma que seria sua, durante toda a vida, se tivesse seguido a voz do próprio coração.

Existe a Lei da Misericórdia Divina, que semeia amor, onde haveria colheita de dor, para aqueles que fazem por merecer, pela dignidade de seus esforços em se aproximar de seu melhor. Mas, para aqueles que tergiversam, no empenho de serem nobres e retos, generosos e fraternos, a colheita de padecimentos atrozes é inevitável, a fim de que aprendam, com a mestra implacável da dor, a cogitarem questões mais sérias que seus interesses intestinos.

Bem-aventurados aqueles que dão e se dão de boa-vontade. Mas ai daqueles que, pensando sempre em si e no interesse imediato, sacrificam os assuntos da alma pelos prazeres do corpo e do ego. Pagarão caro a sua mesquinharia, enquanto os homens e mulheres de bom coração, ainda que errem aqui ou ali, serão agraciados por toda sorte de favores da vida, ocultos ou manifestos.

Alguns poderão se lembrar, ante nossas palavras, dos ricos corruptos e dos poderosos inconscientes. Mas lembramos que não se sabe de sua vida íntima, a conjugal, a familiar, o seu próprio universo psicológico, o campo dos seus sonhos e o clima contínuo de mal estar ou de pesadelo em pleno dia que tenham que suportar… E se há daqueles que, de tão insensíveis, nem a menor ponta de remorso conseguem desenvolver, seguindo aparentemente vitoriosos, enquanto plantam o mal, não fazem idéia, os pobres coitados, da espada de Dâmocles que pende sobre suas cabeças, a ponto de lançá-los, a qualquer instante, dentro ou fora do corpo, em terríveis e inapeláveis suplícios infernais.

Cada um sintoniza com o Amor ou com a Justiça de Deus, conforme sua necessidade evolutiva. Escolha, amigo, o caminho do amor, ou as valas da dor abrir-se-ão sob seus pés, fazendo-o resvalar para os despenhadeiros de uma ou mais existências sofridas, a começar da atual.

(Texto recebido em 18 de outubro de 2001.)

Read Full Post »

*Manada do Pessimismo*

Benjamin Teixeira
pelo espírito Temístocles.

Em época de crise, os alarmistas chegam, pressurosos, e afirmam: Nunca as coisas estiveram tão mal.

Em tempo de prosperidade, voltam eles à baila e dizem, convictos: O período de ventos mansos não demorará.

Em tempo de guerra, então, convertem-se em apologistas da catástrofe, antevendo, em tudo, sinas do apocalipse.

Precavenha-se desses sedutores elegantes. Têm linguagem rebuscada. Apresentam raciocínios brilhantes. Mas, em última análise, não passam de sofistas ensimesmados, mergulhados em fantasias cataclísmicas, perdidos da realidade, semi-enlouquecidos.

Diante do tumulto, do pânico e do desespero generalizados, pense por si mesmo, não admitindo intromissões exageradamente emocionais nos seus processos de pensamento. Todo surto emocional indica fuga à inteligência. Aponha a razão como seu norte, seja crítico e, principalmente, auto-crítico, evite conclusões precipitadas, cheque informações, tanto quanto suas fontes, verifique na prática quaisquer postulações teóricas e, por fim, viva seu mundo conforme seus valores e não conforme a imposição arbitrária de outrem e seu cosmo de sentido sobre seu universo pessoal.

Esse é um caminho para errar menos e acertar mais, quando o otimismo é confundido com ingenuidade e visões pessimistas parecem fadadas à concretização. Não perca de vista esses referenciais. O estouro da boiada já aconteceu e os efeitos da psicologia das massas sob a psique individual, não se subestime, são fortes, exigindo disciplina, determinação e lucidez de quem pretenda enxergar além da poeira emocional da multidão.

(Texto recebido em 15 de outubro de 2001.)

Read Full Post »

 

Benjamin Teixeira
pelo espírito Eugênia.

Pequenos sinais lhe dão nota de que está no caminho certo. A paz de consciência, o sentimento de dever cumprido, o equilíbrio das emoções, a sensação de bem estar contínuo, de prazer em viver. Quem anda conturbado não está no caminho de Deus para si.

Siga o que seu coração lhe pede, e estará sempre em paz e feliz. Não há necessidade de lutar contra forças titânicas, nem de viver um martírio constante. Mas apenas esforço e continuidade, trabalho e dedicação, no campo do ideal, de seus princípios, de suas metas de vida.

Seria possível encontrar outras formas de felicidade, sim, se quisesse, mas isso não é necessário, se você sente que sua alma lhe diz estar no caminho certo. Não queira muito ou poderá perder o pouco satisfatório que já tem hoje. Deve procurar aprimorar-se, sim, mas não inchar, em termos de poder, de posses ou de desejos saciados – esses são os caminhos mais fáceis e rápidos para a frustração e a falta de alegria de viver. Você não precisa de mais excitantes e sim de mais plenitude, felicidade e paz. E somente pelo reto cumprimento dos deveres que sua consciência lhe aponta, pelo seguimento rigoroso das intuições do ideal que lhe vêm à mente, como serviço a ser prestado a seus irmãos em humanidade, pela ligação a Deus em prece e em devotamento contínuo à prática do bem é que encontrará essa trilha de ventura.

Você não precisa se negar prazeres, mas não priorizá-los à felicidade. E a felicidade está no caminho da consciência. As pessoas costumam supor que a consciência é a voz da recriminação, do tédio, da culpa. Isso não se trata da consciência, mas da voz do superego, do sistema de valores convencionados na vida em sociedade, nem sempre em consonância com a voz do espírito, com a voz de Deus. A consciência é a voz do Eu Verdadeiro, da Totalidade, da sua verdadeira identidade, do núcleo mais puro do seu si. Sendo assim, ouvi-la é a trilha mais certa para a bem-aventurança e a paz.

(Texto recebido em 16 de outubro de 2001.)

Read Full Post »

Older Posts »